26.5.10

Mulheres descabidas


Não está faltando amor. Está faltando VERGONHA NA CARA.

Estou farta de mulheres fresculóides e nojentas. E homens superficiais e frívolos.

Com frequência indesejável vejo e ouço mulheres discursando mesquinharias sobre o homem que procuram. Inteligente, bondoso, trabalhador e honesto? Que nada, querem é um bonito e de preferência rico.Quando se vêem tragadas por cafajestes aculturados cuja cabeça fica na parte inferior do corpo, fazem-se de vítimas imaculadas, traídas em sua incontrolável paixão. Faça-me o favor! Um dia comentei que estava com alguém interessante e escuto a fatídica primeira questão: "É mesmo? E ele tem carro?"... Fico irada com a futilidade que invade vidas, mentes e relações. Mulheres enlouquecidas em dietas e academias para igualaram-se às divas dos periódicos. Mulheres preocupadíssimas com a unha quebrada e com o namorado que não paga a conta. Mulheres ocupadas em discutir os últimos acontecimentos da novela das oito. Priorizam aparência, físico e bolso; e ficam inconformadas ao ter que dividir uma conta.

O que nos tornamos?

Homens que só procuram mulheres cuja "dita" esteja adequadamente higienizada para a cópula. Alguns nem exigem tanto. E encontram sim, mulheres dispostas a tal, desde que exibam a chave do conversível e o talão de cheques. E alguns chegam ao disparate de reclamar que todas são "insensíveis", "sem assunto" e "só pensam em dinheiro". Será que procuram nos lugares certos? Ou acham que no Axé Brasil irão encontrar, em meio àquelas centenas de micro - invisíveis - saias e pseudo-blusas a mulher de sua vida?? Competente, inteligente, simpática e digna? Vai na fé, garanhão!

Mulheres que não lêem, não sabem construir uma única frase onde não desponte a palavra "homem", "quilos", "novela" e "compras". Já leram algo diferente da revista Capricho?? O que ouvem? Músicas libinosas de rappers americanos que cantam justamente a superficialidade que tanto lhes agrada. E reclamam que "falta homem que preste". Não é exigência demais querer algo que você não oferece nem minimamente??




A modernidade trouxe benesses incomensuráveis, mas também liberalizou e superficializou o ser. A maioria se rende ao utilitarismo e vive em função do corpo. E a alma? E o interior? Quando encontro alguém que foge à esse padrão, sei bem que estou diante de um integrante do reino de Preste João. Gemas raríssimas e desvalorizadas.

Há salvação? Ou a tendência é piorar? Não acredito que haja uma resposta pronta. Somente entristeço-me ao ver o menosprezo tácito de certas pessoas aos valores e às personalidades fortes. Generosidade, inteligência, visão, honestidade, etc. Brilhe com um cifrão que você vê a diferença. Mas sei que nem tudo está perdido, raros exemplares que rejeitam tal idéia ainda figuram no mundo. Ainda bem.

^.~

4 comentários:

SIlisil disse...

Concordo com tudo que esta escrito em numero genero e grau embora eu tenha apenas um pequeno adendo ao texto "Ligando o modo Misantropo" homens mulheres ta tudo na mesma essa cultura exagerada pelo vestuario adequado corpo perfeito procura de formas de se mostrar estupidas degradantes e irritantes para qualquer espectador com um minimo razoavel de intelecto (sim eu estou falando de babacas com som de carro estupidamente alto tocando funk)estão presentes em qualquer sexo e/ou opção sexual existente sendo um problema mesmo do espirito de nossa epoca.

SIlisil disse...

Por sinal acabei de me lembrar de um episodio de uma serie chamada House em que um cara extremamente genial se automedicava (com sucesso porque ele era genial) pra diminuir o proprio QI e poder assim conviver com uma mulher que ele amava e que era bastante futil e normalzinha, e que sem remedio ele não conseguia suportar por mais de dez minutos, creio essa alternativa que esse personagem tomou ser uma das poucas viaveis para alguns homens e mulheres que eu conheço conseguirem ter algum tipo de relacionamento duradouro levando em conta a situação atual do mercado.

Erundulë disse...

hahahaha

adorei o comentário Marcelo! House é foda... :)

Lucas Souto disse...

Acho que tem espaço pra todo mundo

Os machões ("mamãe-sou-bombado-e-tenho-um-carro-legal") vão para as baladas e encontram a outra metade da laranja ["hey apple!"], suas queridas patrícias ("mamãe-sou-gostosa-formosa-cheirosa-poderosa-e-fogosa"). Os pseudo-intelectuais-de-esquerda vão para eventos "lado B" e encontram seus pares [igualmente estranhos]. E por aí vai... os hippies vão pra debaixo do viaduto. Os yuppies vão para congressos empresariais. Os gays vão para os cafés da Savassi. Os metaleiros vão para bares sujos. Os religiosos vão para as igrejas...

No final todo mundo encontra alguém para um relacionamento afetivo-amoroso!

E nem digo que isso seja bom... rsrs A minha vivência me fez acreditar que, muitas vezes, a solidão nos faz bem melhor! =P

Parabéns pelo blog, Mila! Bjokas

[Ps.: Marcelo, aonde foram parar as virgulas e os pontos no seu teclado? rsrs]